Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2008

 

iluminado questionou o que a turba contra mim clamava.

 ergueu os braços. as palmas bem abertas viradas para a fúria da multidão e clamou: vou purificar-me, vestir a alva e consultar o oráculo.

 

a mulher não pode ser condenada na base de qualquer sofisma. é necessário desvendar a verdade. a bondade da nossa sociedade assim o exige.

 

 

 enquanto me preparo e purifico é necessário que, de entre vós, um de vós que a conheça e acredite na verdade da sua mudança avance e se prontifique a ser seu patrono e, juntamente com uma vidente trace a carta de vida desta mulher sem margem a qualquer paralogismo ou erro para que, se for essa a determinação do deus, possamos avançar decididamente libertá-la da falsa realidade em que se enredou permitindo-lhe o reencontro com a única verdade do universo, lei que nos rege e pela qual vivemos.

 

ide em paz. cumpri a vossa parte que cuidarei da minha e far-se-á segundo a palavra do orago.

 

 Com este texto participei no Jogo das 12 Palavras no Eremitério


estou

publicado por Conceição às 23:59 | link do post | comentar | favorito

generalista sobre literatura e a vida. Assim acaba por integrar análise sócio-política pois toda a vida nela está imersa.
e sobre mim...
arquivos
tags

todas as tags

Contador
eXTReMe Tracker
blogs SAPO
subscrever feeds