Terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

a janela é um rasgão

no tecido de pedra

por ela a luz entra

sai a curiosidade

o olhar se expande

e respira a casa

no passar dos tempos

no abandono das gentes

rasga-se o tecido

que a sustenta

já não casa

já não janela

já não boca

por onde

olhar e ar

circulam

simultaneidade

de rasgões

retalhos da casa

e das memórias.

a céu aberto exposta

ferida.

Conceição Paulino



publicado por Conceição às 16:04 | link do post | comentar | favorito

comentários:
De Isabel José António a 18 de Janeiro de 2009 às 19:19
Queridos Amigos,

Partilhando um pedaço do nosso Domingo convosco, actualizámos os nossos Blogues principais.
Com o Caminho do Coração http://reflexoessentidas.blogspot.com/ reflectimos, com a ajuda de Fernando Pessoa, sobre a CONSCIÊNCIA.
No Observatório http://diarioestetico.blogspot.com/ vimos como um aparentemente “vulgar” nevoeiro pode dar origem a um OLHAR renovado…
No POESIA VIVA http://flordojacaranda.blogspot.com/ oramos pelo Planeta e finalmente, no nosso blogue em Inglês http://newsletterfromlisbon.blogspot.com/ admiramos Lisboa, essa “Musa” que nunca deixa de nos inspirar…

Um abraço nosso e desejos de uma BOA SEMANA!

Isabel e José António

Lisboa 18 Janeiro 2009


De Isabel José António a 18 de Janeiro de 2009 às 19:19
Belo momento poético, incisivo!

Um abraço


Comentar post

generalista sobre literatura e a vida. Assim acaba por integrar análise sócio-política pois toda a vida nela está imersa.
e sobre mim...
arquivos
tags

todas as tags

Contador
eXTReMe Tracker
blogs SAPO
subscrever feeds